calldocumentfacebookmessagemypartnerwindowsapplegoogleplayworkerroutecoinspinterestplaysearchsmartphonetwittercaraccordeonvideoarrowarrowdownloaddownloaduploadsection_scrollerglobemapIcon-Shop-Websitecontactenergyhomebridgeshighrisetunnelmininghousearrow-uparrow-downarrow-leftarrow-leftarrow-circle-rightchevron-right-circleuserexternlinkclose
Concordo que este website use cookies para análises e conteúdo personalizado. Saiba maisOK
Contato
Concordo que este website use cookies para análises e conteúdo personalizado. Saiba maisOK

Super pilar em A mais alto do mundo

12.01.2012 | Imprensa
No 1.º de setembro de 2012 será realizada em Wladiwostok, no extremo leste da Rússia, a 24.ª cimeira da Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (APEC). A APEC é uma organização internacional que tem por objetivo criar uma zona de comércio livre no espaço do Pacífico. No sentido de adaptar a infra-estrutura da região a este importante evento está sendo construído, entre outros, um complexo hoteleiro na ilha Russky Ostrov. Uma ponte de rodovia de quatro faixas com 3.100 m de comprimento permitirá a ligação futura ao continente. Com pilares de 320 m de altura (20 m mais altos do que a estrutura de aço da Torre Eiffel) e um vão livre de 1.104 m, este projeto bate dois recordes mundiais em simultâneo. A empresa de construção Mostovik é responsável pela construção do pilar do lado continental dentro do prazo previsto.

Impressões

  • Um "edifício" autotrepante protegeu a equipe contra as condições climáticas adversas do leste gelado da Rússia e permitiu a construção de concreto mesmo a baixas temperaturas.
Para concluir o super pilar em A mais alto do mundo até inícios de 2012, a Mostovik optou por uma solução de fôrma muito eficiente e confiável da Doka. Foi decisiva a grande experiência acumulada nos últimos 50 anos em projetos de infra-estrutura em todo o mundo, especialmente na construção dos super pilares em A, de 306 m de altura, da ponte Sutong, na China. Contudo, no projeto de Wladiwostok não foi apenas a geometria da obra que colocou as maiores exigências em termos de planejamento das fôrmas. A localização geográfica extrema com ventos fortes frequentes e temperaturas negativas nos meses de inverno constituiu um verdadeiro desafio nesta obra. A empresa Mostovik deixou claro desde o começo que a manutenção de um avanço controlado e rápido dos trabalhos de construção tinha prioridade absoluta. Para satisfazer estes requisitos mesmo em condições climáticas muito adversas, foi decidida a utilização do sistema de fôrma autotrepante SKE em combinação com 650 m² de fôrma Top 50 feita sob medida. A fôrma autotrepante SKE 50, facilmente adaptável, foi idealmente utilizada na parte interior das pernas do super pilar, onde o espaço era mais diminuto, enquanto a fôrma autotrepante SKE 100, com a sua elevada capacidade de carga, foi utilizada nas paredes exteriores. Com uma capacidade de carga de 10 toneladas por console, estava perfeitamente dimensionada para o içamento dos painéis de fôrma e de sete plataformas diferentes, sem a ajuda de grua.

Cronograma cumprido independentemente das condições climáticas

A ancoragem permanente dos consoles trepantes à estrutura permitiu o reposicionamento seguro da fôrma e das plataformas, sem a ajuda de grua e em qualquer clima. Requisitos particularmente rigorosos para a obtenção da resistência ideal do concreto tornaram necessária outra inovação tecnológica de fôrmas. O concreto in situ teve de endurecer durante quatro dias em fôrma fechada, só então a fôrma pôde ser aberta. Para garantir uma construção de concreto de elevada qualidade mesmo a baixas temperaturas, a Doka envolveu todas as sete plataformas com uma lona robusta e construiu uma cobertura formada por sete segmentos. O local de trabalho foi, assim, totalmente fechado e pôde ser aquecido no inverno. Com temperaturas exteriores mais elevadas e para a aplicação de aço para armadura, os diferentes segmentos da cobertura foram deslizados sobre rolos. A elevada capacidade de adaptação da fôrma SKE a diferentes geometrias e inclinações foi outra das vantagens neste projeto, pois a seção máxima de cada perna do super pilar foi gradualmente reduzida desde os 13 m da primeira seção de concretagem até os 7,5 m da 71.ª seção de concretagem. A espessura das paredes também diminuiu sucessivamente dos 2,0 m para os 0,75 m. As plataformas telescópicas e os painéis de fôrma facilmente reduzidos permitiram uma adaptação rápida e progressiva em cada seção de concretagem.

Suporte 24 h pela Doka

Além do fornecimento just-in-time da solução de fôrma, a Mostovik ficou especialmente surpresa com o excelente acompanhamento na obra. No sentido de assegurar um avanço tranquilo dos trabalhos de fôrma, dois técnicos especializados da Doka e outro técnico estavam sempre no local para auxiliar e aconselhar permanentemente a equipe na obra. Devido à elevada pressão dos prazos, a equipe trabalhou dia e noite na execução do super pilar, nos ciclos semanais previamente definidos. Este projeto é apenas outro exemplo de como os clientes da Doka em todo o mundo podem contar com o know-how acumulado e o apoio profissional da central da Doka.

Também poderá estar interessado em:

Muskrat Falls - Doka como parceiro para o maior projeto de construção no Canadá

07/09/2014 | Imprensa

Doka participa da ampliação do Swissotel na capital Peruana.

12.05.2014 | Notícias