calldocumentfacebookmessagemypartnerwindowsapplegoogleplayworkerroutecoinspinterestplaysearchsmartphonetwittercaraccordeonvideoarrowarrowdownloaddownloaduploadsection_scrollerglobemapIcon-Shop-Websitecontactenergyhomebridgeshighrisetunnelmininghousearrow-uparrow-downarrow-leftarrow-leftarrow-circle-rightchevron-right-circleuserexternlinkclose
Concordo que este website use cookies para análises e conteúdo personalizado. Saiba maisOK
Contato
Concordo que este website use cookies para análises e conteúdo personalizado. Saiba maisOK

Construção de pontes em tempo recorde

14.03.2012 | Imprensa
A rodovia M51, com 26 km de extensão e 4 vias, fará a ligação entre Kliplev e Sønderborg na Jutlândia do sul, a cerca de 15 km da fronteira entre a Dinamarca e a Alemanha.

Impressões

  • Os consoles do sistema modular da Doka permitem a fabricação precisa das vigas de borda.
  • As estruturas com pré-esforço convencional são executadas com fôrma Top 50 em seções de cerca de 13 m de comprimento.
  • A Staxo 100 é uma torre de carga extremamente adaptável e com alta capacidade de carga.
Este projeto PPP (Parceria Público-Privada) abrange no total 72 pontes e passagens, das quais 11 passagens superiores, 30 passagens inferiores e 31 galerias de menores dimensões. Em todos os trabalhos de concretagem está sendo utilizada exclusivamente fôrma da Doka – por exemplo, 9.000 m² da fôrma Top 50 extremamente adaptável e mais de 4.750 módulos básicos da torre de carga Staxo 100 com alta capacidade de carga.

Projeto PPP reduz custos em mais de 40%

Ao contrário de uma concorrência convencional, em um projeto de parceria público-privada como este (o primeiro na Dinamarca ligado a projetos de construção de estradas), o parceiro privado, neste caso o grupo Kliplev Motorway Group A/S, assume mais responsabilidade e riscos. A empresa é responsável não só pela construção em si, mas também pelo planejamento, pela operação e pelo financiamento. Esta solução visa incentivar a empresa privada a pensar em termos de otimização e eficiência econômicas, uma vez que é de todo o interesse da mesma considerar a vida útil global do projeto.

Os parceiros do grupo KMG contribuíram, neste projeto, com os seus conhecimentos especializados logo na fase de proposta, de forma a criar um projeto de construção que, com o recurso a tecnologias de construção e execução cuidadosamente selecionadas, permitisse reduzir os custos com a manutenção das infra-estruturas, não apenas durante os 26 anos de duração da concessão, mas também nas décadas futuras.

Por essa razão, a maioria das pontes se baseia em um conceito de estrutura muito simples, para conseguir uma construção estaticamente vantajosa. As pontes deste tipo têm apenas um número reduzido de ligações em termos de, por exemplo, juntas, rolamentos e tubos de drenagem. Com as tecnologias escolhidas pelo grupo KMG se espera reduzir os custos com a manutenção das infra-estruturas em mais de 40%, em comparação com uma rodovia tipicamente dinamarquesa.

Fornecimento de fôrmas para 72 pontes

A tarefa parece ser simples: construir 72 pontes, 10 delas com pré-esforço convencional e 11 com módulos pré-estressados, porém a implementação cuidadosa é um verdadeiro desafio devido aos diferentes requisitos geométricos e específicos da construção. De referir ainda os prazos apertados que devem ser obrigatoriamente cumpridos. Isso exige um planejamento escrupuloso das fôrmas que tenha em conta todas as condicionantes envolvidas.

Logo na fase de planejamento, os engenheiros do projeto elaboraram um conceito bem articulado de fôrma e serviço na filial do fabricante, em Nuremberga, visando o melhor custo-benefício da produção em série destas superestruturas em concreto moldado in loco. Por último, a empresa Dywidag Bau GmbH Nürnberg adjudicou o fornecimento de toda a fôrma à Doka. "Para nós é importante ter apenas um parceiro responsável pelas fôrmas, de forma a evitar problemas de entrega no decorrer do projeto", salienta Torben Brokop, Diretor do Projeto.

Várias estruturas de uma só vez

Para as fundações e galerias de menores dimensões foram transportados cerca de 725 m² de fôrma modulada Framax Xlife para a obra na Dinamarca. Ao mesmo tempo foi iniciada, no serviço de pré-montagem da Doka, na Alemanha, a montagem de mais de 9000 m² de fôrma Top 50, enquanto o departamento de logística da Doka preparou o carregamento de 26 caminhões com a torre de carga Staxo 100.

As estruturas com pré-esforço convencional são executadas em seções com cerca de 13 metros de comprimento, com os tabuleiros de mais de 70 cm de espessura sendo escorados pela robusta torre de carga Staxo 100. A parte inferior da fôrma fecha em baixo em um descimbrador de 20 cm, permitindo o abaixamento de toda a fôrma inferior em 10 cm. Com este dispositivo rápido de desfôrma, 6 homens, em apenas 20 horas, conseguem deslocar uma unidade com cerca de 350 m² até à próxima seção, através de chapas verticais que deslizam umas sobre as outras, e montar tudo novamente. Isso corresponde a um tempo de fôrma extraordinário de apenas 0,34 h/m². No total são precisos 4 conjuntos completos de fôrmas, para uma área total de 2.500 m².

Nas estruturas com módulos pré-estressados, o conceito prevê que a concretagem seja feita de uma só vez. Aqui mais uma vez são utilizados 4 conjuntos de fôrmas, para uma área total de 6.600 m². Nas pontes maiores da M51, mais de 5.700 m³ de torres de carga Staxo 100 escoram os painéis de fôrma de lajes. As paredes laterais e as abas do tabuleiro são, depois, concretadas em uma fase posterior.

O planejamento das fôrmas considerou desde o começo as diferentes dimensões das estruturas. Isso provou ser uma enorme vantagem no local, uma vez que reduziu ao mínimo a necessidade de fazer modificações – um conceito de fôrma generalizado para obter os melhores resultados. Devido às geometrias variáveis, alguns dos painéis de fôrma vertical de até 5 m de altura também foram dimensionados para raios de 3 m. Na Dinamarca, os painéis Doka 3-SO são utilizados como contraplacado, superfície mais rugosa e mais robustos para as áreas visivelmente mais expostas e lisos e simples para os parapeitos.

Nos horários de pico, cerca de 130 profissionais trabalham ao mesmo tempo nas 13 estruturas deste projeto global. Durante os 16 meses de construção, têm de ser corretamente colocados cerca de 28,500 m³ de concreto e 2920 t de armaduras.

Sempre um passo à frente

Como fabricante pioneiro de fôrmas, a Doka tem uma visão abrangente do desenvolvimento dos trabalhos na obra. Por isso, o vasto leque de serviços oferecidos pela Doka inclui não apenas o planejamento da fôrma e os cálculos estáticos, mas também a montagem básica, a posterior devolução e a desmontagem da fôrma utilizada. Aliado ao acompanhamento permanente na obra por engenheiros experientes e técnicos especializados competentes da Doka, a empresa construtora recebe o melhor apoio possível. "Estes foram nomeadamente os pontos mais importantes para nós, razão pela qual adjudicamos o fornecimento de toda a fôrma à Doka", afirma Torben Brokop, Diretor do Projeto.

Também poderá estar interessado em:

Muskrat Falls - Doka como parceiro para o maior projeto de construção no Canadá

07/09/2014 | Imprensa

Doka participa da ampliação do Swissotel na capital Peruana.

12.05.2014 | Notícias